terça-feira, 1 de novembro de 2016

OUVE-SE UM CHORO EM ALEPO




Um choro se ouve em Alepo
É Raquel chorando os seus filhos
Que não regressarão da escola

O grande pranto triste do fundo dos úteros
Que ficaram órfãos

Ouve-se um choro em Alepo
É Raquel a despedir-se 
De si mesma.

01-11-2016  
João Tomaz Parreira



Um comentário:

Heloisa Zachello disse...

Sempre se levantarão Jeremias para lamentar, clamar por Misericórdia. Por algo que lhes dê Esperança. Graças a a Deus por eles, que conseguem enxergar o pranto de tantos, nas esquinas de todas as ruas e becos... " Homens, até quando tornareis a Minha Glória em vexame ? E amareis a vaidade, e buscareis a mentira ( e eu acrescentaria ) e vos embebedareis de sangue dos inocentes ?
Deus, Deus de Jeremias! Misericórdia a um povo que sofre as consequências da brutalidade do fanatismo e do egoísmo dos poderes! Deus! Até quando ?
Até quando Raquéis chorarão por seus filhinhos, que já não existem ?
Até a hora em que for derramado o vaso do altar, contendo a oração e o clamor dos mártires e dos santos... Esperemos... MARANATA !!!